Critérios de Avaliação 2019/2020

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO 2019-2020

“A avaliação sumativa, destinada a classificar e a certificar os alunos, deve ocorrer apenas para fazer balanços globais sobre o que os alunos sabem e são capazes de fazer.
A avaliação formativa deve fazer parte integrante do ensino e da aprendizagem e estar relacionada com:

  1. a autoavaliação e autorregulação das aprendizagens por parte dos alunos;
  2. a utilização de uma diversidade de estratégias e instrumentos de avaliação;
  3. a participação dos alunos e de diversos intervenientes no processo de avaliação;
  4. a transparência de procedimentos;
  5. a definição de critérios relativos às competências a desenvolver;
  6. o feedback que os professores devem proporcionar aos alunos de forma sistemática.”

(Fernandes, Domingos (2007). A avaliação das aprendizagens no Sistema Educativo Português. Educação e Pesquisa, São Paulo, v.33, n.3, p. 581-600, set./dez. 2007).

Assim:

1. Deverão ser operacionalizadas, no mínimo, três tarefas de avaliação diferentes:

  • por período, no Ensino Básico e nos Cursos Científico-Humanísticos de nível secundário;
  • por módulo, nos Cursos de Educação e Formação Profissional.

1.1. Devido à extensão dos módulos que as integram, as disciplinas de Educação Física e de Português Língua Não Materna dos Cursos de Educação e Formação Profissional seguirão a lógica de período.

2. Nenhuma tarefa de avaliação poderá ter uma ponderação superior a 50% no ensino básico e nos cursos de educação e formação profissional de nível secundário e a 60% nos cursos científico-humanísticos de nível secundário.

3. A construção das grelhas de avaliação e de autoavaliação por domínio deverá obedecer à seguinte rubrica de avaliação, de forma a resultar um total de 200 pontos nos cursos científico-humanísticos e nos cursos de educação e formação profissional de nível secundário e de 100% no ensino básico:

Nível de consecução
Descritores de desempenho
O aluno:
5

Revela sempre.

4

Revela frequentemente.

3

Revela com alguma regularidade.

2

Revela poucas vezes.

1

Revela pontualmente.

4. As datas de realização das tarefas de avaliação deverão ser marcadas na grelha existente para o efeito, no programa Inovar e disponibilizadas aos alunos e pais/EE.

5. Quando a tarefa de avaliação for a realização de teste, a marcação deverá acautelar que não seja marcado mais do que um teste por dia e dois por semana. O conselho de turma deverá zelar para que a distribuição das marcações das tarefas de avaliação seja equilibrada ao longo de cada trimestre.

6. A avaliação sumativa de final de período:

6.1. Deverá ter suporte numa grelha Excel, a qual será enviada, por cada professor, a cada Diretor de Turma, antes de cada conselho de turma, para ser por ele colocada na plataforma Moodle;

6.2. Traduzirá um balanço global, que implica a consideração dos resultados obtidos em todas as tarefas de avaliação realizadas até ao momento em que o balanço se realiza, com as ponderações aprovadas para cada tarefa, tal como descrito nos critérios específicos de cada disciplina, assim respeitando a rubrica de avaliação a seguir apresentada:

Nível de consecução
Descritores de desempenho
EB
ES e EFP
O aluno:
5

Mostra ter desenvolvido todas as aprendizagens essenciais previstas para a disciplina/ano de escolaridade, até ao momento a que a avaliação se reporta (combinação dos critérios da quantidade e da qualidade).

5
20 - 18
4

Apresenta falhas que é capaz de reformular, com sucesso, com orientação do professor (combinar os critérios da quantidade e da qualidade).

4
17 - 14
3

Apresenta falhas que implicam apoio direto do professor no processo de trabalho (combinação dos critérios da quantidade e da qualidade).

3
13 - 10
2

Apresenta falhas que exigem mudança na estrutura dos conhecimentos (combinação dos critérios da quantidade e da qualidade).

2
9 - 7
1

Apresenta falhas que exigem mudança nas suas representações e hábitos (combinação dos critérios da quantidade e da qualidade).

1
6 - 0

CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO 2019-2020